Mulheres Negras

Videoclipe “Preta” promove auto-estima e valorização da mulher negra

Por Miriam Alves, do Bloco das Pretas

Single lançado há uma semana do Dia Internacional de luta das mulheres, ressalta a luta das mulheres negras no combate às opressões.

#DeixaSeuCabeloAssim ganhará espaço dentro da Mostra Feminista de Arte e Resistência, que ocorre em Belo Horizonte. O vídeo será objeto de um debate proposto pela Organização de Mulheres Negras Ativas e as jovens da Formação do Hip-Hop das Minas.

 

 10408711_10203525043072038_1833213279192874893_n

Nós mulheres negras, passamos por uma série de violações desde a infância, que se caracteriza pela negação de nossa identidade.  Historicamente a construção de uma imagem social de negras e negros, se deu a partir da cultura do branqueamento. Fomos ensinadas a negar nossos traços negróides, a desvalorizar nossa cultura e não nos reconhecermos enquanto sujeito étnico-racial. Tudo isso acarretou uma série de violações sobre nossos corpos, em busca de um padrão de beleza.

10922423_343531905834466_162258068264077930_n

Em uma sociedade patriarcal, fomos duplamente oprimidas por uma cultura de racismo e machismo, predominante em vários espaços, até mesmo dentro das culturas de resistência como o hip-hop. Desconstruir o machismo não é um processo fácil, mas necessário, pois ter uma conduta dúbia sobre opressões é no mínimo contraditório. Se não é capaz de romper com um sistema genocida, que vitimiza e mata mulheres a cada 12 segundos, acaba por contribuir  com a estigmatização, hiper-sexualização dos nossos corpos e o celibato definitivo, o que só reforça e legitima o racismo.

10426072_327866997400957_8125974751609796669_n

O videoclipe surge no intuito de enfrentar esses paradigmas, a partir da valorização e exaltação da beleza afro, e propõe a desconstrução do machismo, tão arraigado em diversos estilos musicais. Os músicos Marvin Pires e Delatorvi, de Nova Lima, região metropolitana de Belo Horizonte, em parceria com a organização de Mulheres Negras Bloco das Pretas, ressalta a estética e mostra que representatividade importa, na construção de uma identidade afro-centrada, na afirmação de nossos crespos e cachos.

Um salve para todas as pretas do Brasil !

Você também pode gostar