Meios de Comunicação e Racismo

Movimentos convocam protesto antirracista na porta da TV Globo

 

 

 

 

Por Douglas Belchior

E a Rede Globo mantém seu papel histórico: fortalecer estigmas negativos relacionados à população negra e à classe trabalhadora, em especial às mulheres negras, no imaginário coletivo.

Até aí, nenhuma novidade.

Mas há sim um elemento novo: O Movimento Negro está nas ruas, forte como nunca.

[email protected] ao “Protesto e as Pretas“, em frente à Rede Globo, nesta terça feira, 16/09, às 19h, com concentração na Praça General Gentil Falcão – SP.

 

 

10612822_376892315793051_4700621778318644993_n

“Sexo e as Nega” será alvo de protesto em frente à emissora nesta terça feira.

 

Nota de Repúdio

“Sexo e as nega” não nos representa. Queremos mulheres pretas no poder!

 

Nesta terça feira, 16/09, estreia na Rede Globo a minissérie “Sexo e as Nega”, de Miguel Falabella. Nós, pretas e pretos independentes e atuantes de diversos coletivos, organizações e entidades manifestamos nosso absoluto repúdio a mais um golpe racista protagonizado pela emissora, que permanece desde a sua fundação como uma das ferramentas de manutenção do racismo e do machismo brasileiro.

Para nós, é evidente que a maneira como o seriado retrata as mulheres negras contribui de forma latente com os péssimos estigmas atribuídos historicamente às mulheres negras em nosso país, como o de mercadoria sexual, cujo único valor é o sexo.  “Sexo e as Nega” é só mais um capítulo do desserviço permanente prestado pela emissora ao povo negro.

A tentativa desonesta do autor de transformar esse seriado racista em uma maneira de propagandear a farsa da democracia racial, precisa ser denunciada. O racismo brasileiro se explicita a cada dia, e na mesma proporção o Movimento Negro vem ganhando força. Logo, mesmo que a emissora permaneça se furtando de um debate honesto sobre o racismo, ou até mesmo fazendo uma cobertura justa do que estão sendo as lutas antirracistas no Brasil, as diversas organizações do movimento negro permanecerão nas ruas, em protesto, enquanto for necessário, assim como será nesta terça-feira.

Convocamos todo povo negro de São Paulo ao protesto pela retirada imediata deste programa racista do ar e denunciamos:

  • A contribuição histórica da emissora com o racismo brasileiro;

  • A maneira racista e machista que a emissora retrata a mulher negra em sua programação;

  • O silêncio da emissora em relação às últimas mobilizações do movimento negro, em especial a Marcha Contra o Genocídio do Povo Negro, que movimentou mais de 60 mil pessoas em todo país no último dia 22 de Agosto;

  • A maneira como emissora se recusou a dialogar com as diferentes vozes que levantaram quanto ao programa;

  • A permanente tentativa da emissora de propagandear a farsa da democracia racial.

Confirme e Compartilhe Evento no Facebook

 

Assinam:

Uneafro-Brasil

Círculo Palmarino

Levante Popular da Juventude

Você também pode gostar