Política

A história golpeada do Brasil

favela-poverty-brazil

 

Por Douglas Belchior

 

Vivia em harmonia com a natureza.

Água limpa, comida boa, ar puro.

Cara-pálidas chegaram. Invadiram. Estupraram e mataram nosso povo. Um duro golpe.

Vivia em minha terra, tribo, reino, do outro lado do atlântico.

Homens brancos armados com cruzes tomaram nosso povo e nos escravizaram por quase 400 anos. O maior de todos os golpes.

Nestas terras de Pindorama, por séculos reagimos: Levantes, rebeliões, guerras, quilombos. E golpes.

Independência com escravidão: Golpe.

Abolição sem reparação: Golpe.

República sem reforma agrária: Golpe.

Democracia sem cidadania: Golpe.

Frente Negra, partido negro, integralismo fascista, golpe.

Teatro Experimental do Negro, black is beautiful, black power, 1964, golpe.

Guerreiro Ramos, Abdias do Nascimento, Carlos Marighella, Geraldão, exílios, torturas, mortes, golpe.

Reabertura, democracia, movimento negro unificado – MNU, PT, PDT, PCdoB, CUT, Lula, Brizola, Diretas Já, Lélia Gonzales, Benedita da Silva, Sueli Carneiro, centenário da abolição, eleições, Collor, Globo, golpe.

Impeachment (Globo), FHC, Plano Real (receita do capital mundial), privatizações, reeleição, golpe.

E finalmente a esperança vence o medo. Carta aos Brasileiros. Golpe.

A cadeia lotada de pretos, golpe.

A polícia assassina de pretos, golpe.

Um judiciário a serviço dos ricos, golpe.

Oligarquias e monopólios midiáticos, golpe.

E hoje, 13 anos depois,

Ou hoje, 516 anos depois,

Entre poucos avanços e muitas frustrações, o fascismo ressurge, golpe.

O povo negro, trabalhador e pobre é, historicamente, vítima de golpes.

Somos, por natureza, contra golpes.

Mas sempre resistimos a eles. E sobrevivemos.

E é questão de tempo: venceremos!

 

 

Você também pode gostar