Política

Contra o golpe e pela democracia que nunca vivemos, mas que jamais desistiremos

Por Douglas Belchior

Estou e permanecerei nas ruas, somarei meu corpo às manifestações contra o golpe  – o impeachment, do lado histórico que me cabe.

Mas não vou “de alegre”. Nem vou para bater palma pra louco!

Não comemoro democracia que mata pretos;

Não celebro liberdade democrática que encarcera em massa os pobres;

Não defendo governos ou lideranças que traem causas populares;

Também sou contra a corrupção. Mas visto vermelho!

Não quero para ninguém uma justiça seletiva, que escolhe alvo, bem como sempre foi e é com o povo negro.

Não aceito que redes de TV, rádios, jornais e revistas, feito terroristas, bombardeiem  o povo com mentiras e maldades.

Não concordo que líderes religiosos usem a fé das pessoas, para pregar a discórdia e a guerra.

Não quero de volta descendentes raciais e políticos dos escravocratas na condução política do país.

Por isso vou para a rua.

Não por defender o que está aí – indefensável que é -, mas por acreditar no que há por vir.

Pela democracia que nunca vivemos, mas que jamais desistiremos!

Você também pode gostar