Escrita da história Formação

Auto Crítica

 

Black-Africa-hand_large

Por Douglas Belchior

 

Vamos debater opressões?
Uma mesa de reflexão, três opções:
Opressão de gênero, fundamental
Racismo, da desigualdade é estrutural
Homofobia e afins, violência tida como natural

Convidadas:
Mulher branca, militante feminista
Homem negro do movimento africanista
E outro homem, homossexual ativista

Onde?
No Centro Acadêmico
No Sindicato
No Partido
Nos movimentos do campo ou da cidade

Importância:
Um setorial
Um coletivo
Uma atividade

No máximo uma secretaria
Tratamento de câncer na perfumaria
Debate paralelo, sempre submetido
À lógica do economicismo

Que merda!
A desigualdade de agora é o resultado do escravismo
que meu povo herda.

Cegueira:
A cultura machista e patriarcal de uma vida inteira,
desde a história primeira

À minha direita, enxergam bem:
O tiro é certeiro, fita métrica
Bala perdida na cabeça do jovem negro
E porrada na mulher empregada doméstica.

À minha esquerda a miopia, apatia,
Prepotência travestida de ideário:
“Luta de classes é burguesia versus proletariado”

Na ponta da língua, revolução russa,
Cubana
Mas à míngua, dezenas de gays assassinados
No final de semana

É preciso inverter o pensamento,
Mudar a órbita
A luta antirracista, antimachista
E anti-homofóbica
Deve nortear a ação anticapitalista,
Esta é a lógica

Racismo, machismo e a homofobia
São ideologias de dominação
Sem as quais as elites capitalistas
Não controlariam a população

Maioria mulher e povo preto,
Destemido
Em Oxalá espero que esse recado
Seja entendido

Você também pode gostar